Pelo segundo ano consecutivo, Instituto Jô Clemente conquista Selo Municipal de Direitos Humanos e Diversidade

Selo Municipal de Direitos Humanos e Diversidade

Pelo segundo ano consecutivo, o Instituto Jô Clemente (IJC), antiga Apae de São Paulo, conquistou o Selo Municipal de Direitos Humanos e Diversidade, organizado pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, órgão da Prefeitura da capital paulista. A premiação, que teve em 2021 a sua quarta edição, tem como objetivo reconhecer boas práticas de gestão da diversidade e promoção dos direitos humanos em empresas, órgãos públicos e organizações do terceiro setor.

Neste ano, o IJC foi reconhecido pelo trabalho de inclusão profissional de pessoas com deficiência intelectual e autismo, com o case “Inclusão Profissional de Pessoas com Deficiência Intelectual e Transtorno do Espectro Autista (TEA) em meio à pandemia”.

“Estamos muito felizes com mais essa conquista, que reforça o nosso propósito de promover o protagonismo da pessoa com deficiência intelectual. A inclusão profissional de pessoas com deficiência é um desafio, pois infelizmente ainda existe muito preconceito e falta de informação acerca desta significativa parcela da população. Nós, do Instituto Jô Clemente, utilizamos desde 2013 a Metodologia do Emprego Apoiado, adotada em diversos países, para enfrentar essa desigualdade e ampliar a inclusão laboral em nosso meio”, diz Daniela Machado Mendes, superintendente geral do Instituto Jô Clemente.

“Nas empresas, realizamos um trabalho com o objetivo de criar uma cultura de valorização da diversidade. Por outro lado, conhecemos de perto cada pessoa e procuramos identificar seus pontos fortes, interesses e necessidades de apoio. São oferecidos cursos e orientações diversas, antes e depois da inclusão, de acordo com as características individuais de cada colaborador “, comenta Victor Martinez, supervisor do Serviço de Inclusão Profissional do IJC.

Desde que implementou essa metodologia, o IJC já realizou cerca de 3 mil inclusões em mais de 50 empresas e órgãos públicos. Mesmo em um cenário delicado de pandemia, em 2020, a Organização promoveu a inclusão de 345 jovens e adultos em novos postos de trabalho. Nos últimos anos, a taxa de retenção dessas pessoas tem sido de 90%. Desde o início da pandemia, em um trabalho em conjunto com as empresas, foi possível adaptar as vagas ao sistema home-office, o que auxilia na inclusão, já que as pessoas com deficiência intelectual também pertencem ao grupo de risco para a covid-19.

Sobre o Instituto Jô Clemente

O Instituto Jô Clemente é uma Organização da Sociedade Civil sem fins lucrativos que há 60 anos previne e promove a saúde das pessoas com deficiência intelectual, além de apoiar a sua inclusão social e a defesa de seus direitos, produzindo e disseminando conhecimento. Atua desde o nascimento ao processo de envelhecimento, propiciando o desenvolvimento de habilidades e potencialidades que favoreçam a escolaridade e o emprego apoiado, além de oferecer assessoria jurídica às famílias acerca dos direitos das pessoas com deficiência intelectual. Pioneiro no Teste do Pezinho no Brasil e credenciado pelo Ministério da Saúde como Serviço de Referência em Triagem Neonatal, o Laboratório do Instituto Jô Clemente é o maior do Brasil em número de exames realizados e oferece, atualmente, o Teste do Pezinho Ampliado na rede pública do município de São Paulo, contemplando o diagnóstico precoce de até 50 doenças, incluindo dezenas de condições raras. Por meio do CEPI – Centro de Ensino, Pesquisa e Inovação do Instituto Jô Clemente, a Organização gera e dissemina conhecimento científico sobre deficiência intelectual com pesquisas e cursos de formação.  Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 5080-7000 ou pelo Site do IJC .