Pesquisa revela que 68% creem que pessoas com Transtorno de Espectro Autista devem ter prioridade na vacinação contra a Covid-19

vacina COVID

Em 2007, a ONU (Organização das Nações Unidas), definiu a data 2 de abril como o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, a fim de chamar a atenção da mídia e da sociedade para o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). O SISTEMA REAÇÃO dentro da Campanha Abril + Azul repercutirá durante todo o mês matérias especiais sobre a data.

Tendo como ponto de partida o dia 2, a campanha ‘’Abril Azul’’ busca trazer visibilidade para o tema durante todo o mês, como forma de mobilizar a sociedade sobre essa condição ainda pouco conhecida e discriminada por muitos. Por que a cor azul? Porque o autismo atinge muito mais os meninos do que as meninas (proporção de 4:1), fato que a ciência ainda não consegue explicar.

Mas como é a percepção da população sobre o assunto?

Uma pesquisa realizada pela Toluna (empresa especializada em insights de mercado) sobre o tema, revelou que 75% dos internautas dizem conhecer a campanha Abril Azul, porém 55% não sabem por que a cor azul representa o mês de conscientização sobre a doença.

Quando o assunto é preconceito/exclusão, grande parte dos entrevistados (57%) concorda que as pessoas com TEA sofrem muito em seu cotidiano. E cerca de 62% acredita que as escolas estão mais inclusivas para estas crianças hoje em dia. A pesquisa aponta que 57% acham que existe menos preconceito quanto ao espectro autista comparado com o cenário há 5 anos.

Também 87% da amostra acham que as pessoas com TEA podem ter um cotidiano normal – obviamente incluindo as restrições e cuidados a mais – no que tange à uma vida independente, como indivíduos respeitados e inseridos na sociedade.

Para 48% dos entrevistados, as causas do autismo são genéticas. E 68% da amostra concordam que as pessoas com TEA devem ter prioridade na vacinação contra a Covid-19. Caso essa decisão seja tomada por autoridades competentes, 87% dos respondentes compreenderiam totalmente.

A pesquisa da Toluna foi realizada no dia 29 de março, com 845 respondentes, sendo 55% mulheres e 45% homens, das classes A, B e C, segundo critério de classificação de classes utilizado pela ABEP – Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, onde pessoas da classe C2 têm renda média domiciliar de R$ 4.500 por mês. Estudo feito com pessoas acima de 18 anos, de todas as regiões brasileiras, com 3 pontos percentuais de margem de erro e 95% de nível de confiança.

 

· A Revista Reação adequa todos os termos utilizados de forma indevida em relação às pessoas com deficiência, de acordo com as novas regras adotadas em todo o mundo desde 2006. Atualmente, o termo oficial e CORRETO que foi definido pela Convenção das Nações Unidas sobre o Direito das Pessoas com Deficiência é PcD que significa Pessoa com Deficiência, pois ele esclarece que há algum tipo de deficiência sem que isso inferiorize quem a tem. Pessoa portadora de deficiência (PPD) ou Portador de Necessidades Especiais (PNE) são termos errados e devem ser evitados, uma vez que não transmitem a realidade como deveriam.

Font Resize