Pessoas com Deficiência na Rede Farma Conde

A Rede Farma Conde está instalada no Vale do Paraíba, interior de São Paulo. É  a maior rede regional de drogarias do País com 194 lojas ativas e está espalhada por todo o Estado de SP.

Até hoje, após 25 anos de história, a Farma Conde continua priorizando o respeito pelo cliente como um valor inegociável. Para Mário Muniz, Presidente Executivo: “a empresa está com 25 anos e foi iniciada na cidade de Ubatuba/SP pela Família Conde. A falta de oportunidade para atuar como farmacêutica fez com que Claudia e seu esposo Manoel, abrissem uma pequena drogaria, em Ubatuba/SP. O valor principal da Família Conde e o diferencial sempre foi entender a necessidade e dar a melhor oportunidade de compra para o cliente, com preço justo, além de oferecer medicamentos e perfumaria de qualidade”.

“Hoje nosso quadro é composto de 2.400 colaboradores em lojas, sendo que o quadro de PcD é de 86 colaboradores e sempre estamos com vagas abertas para profissionais com deficiência. Eles podem atuar em todas as posições que temos na Cia, inclusive seu plano de carreira. Hoje temos profissionais atuando como: ajudantes, auxiliares de lojas, balconistas, farmacêuticos e gerente administrativo”, afirma Manoel Conde, Presidente do Conselho Administrativo.

“Nosso negócio é voltado à saúde e bem estar de nossos clientes. A inclusão da pessoa com deficiência tem total sinergia com esse foco, além da valorização de potenciais”, afirma Katia Delanhesi, Gerente de RH.

Todas as lojas estão aptas a receber colaboradores com deficiência, idosos e pessoas com mobilidade reduzida. O cliente pode ser atendido através do ecommerce e Dik Entrega.

Para Katia Delanhese: “trabalhamos a inclusão de pessoas com deficiência em nossa rotina, esses profissionais são inclusos nos mesmos moldes de atuação e adequação que os demais colaboradores. Nosso processo de avaliação está alinhado aos mesmos moldes que os demais colaboradores, somos uma empresa que entende a necessidade do cliente, orienta e facilita a compra. Os profissionais que melhor aderem a essa cultura, independentemente de serem PcD, são os que melhorem se destacam”.