Plataforma de exercícios on-line do Comitê Paralímpico Brasileiro promove qualidade de vida a pessoas com deficiência de todo país

ilustração

Está no ar a partir desta segunda-feira, 17, a segunda aula do segundo módulo do projeto Movimente-se, plataforma on-line do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e patrocinada pela Loterias Caixa que oferece gratuitamente atividade física a pessoas com deficiência.

Nesta nova fase, o programa tem como propósito o fortalecimento muscular de cadeirantes, paralisados cerebrais, amputados e deficientes visuais que nunca praticaram atividade física ou que não possuem orientação profissional.  

O programa foi lançado em 1º de junho e já impactou mais de 200 mil pessoas pelo país. As aulas são divididas por tipo de deficiência e é recomendado executá-las três vezes por semana. Os 30 vídeos do módulo inaugural mais as duas aulas já lançadas do segundo estão disponíveis no site do Movimento Paralímpico.   

“No primeiro módulo, decidimos trabalhar o equilíbrio muscular e motor para promover um ganho no dia a dia de quem acompanha o programa. Recebemos feedbacks que mostraram que atingimos exatamente o planejado. Então, o objetivo agora é fazer as pessoas se sentirem mais fortes, com a musculatura mais rígida para que façam suas atividades diárias com mais facilidade.

Se o primeiro módulo foi seguido, o risco de lesão reduziu consideravelmente. A pessoa pode ficar dolorida com a prática dos exercícios, mas isso não vai impedir que ela faça suas atividades normalmente”, explicou Fábio Dias, um dos instrutores do Movimente-se e técnico da Seleção Brasileira de atletismo paralímpico.  

Todo conteúdo do projeto é ministrado pelos técnicos do CPB e atletas paralímpicos, que demonstram como realizar exatamente os movimentos dos exercícios. Cada aula consiste em aquecimento, exercício principal e volta à calma (relaxamento).  

Nesta segunda aula, os atletas convidados para demonstrar os movimentos foram os velocistas Fabrício Ferreira (classe T12, para atletas com baixa visão) e Vinícius Rodrigues (classe T63, para amputados de perna), além da nadadora Maiara Barreto (classe S3, para atletas com limitações físico-motoras severas) e Mateus Evangelista, do salto em distância (classe T37, para paralisados cerebrais).  

Os praticantes com deficiência visual do Movimente-se também contam com assistência por vídeo em tempo real no aplicativo Be My Eyes. Por meio desta parceria com o app dinamarquês que conecta pessoas cegas e com baixa visão a voluntários, o CPB disponibiliza profissionais de Educação Física que atendem aos chamados dos usuários do Movimente-se de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro