Por trás de uma escrita

Mais do que escrever, uma identidade.

Uma letra, uma palavra ou um nome pode não ser importante ou não representar muita coisa. Porém, na vida de muitas pessoas pode ser mais do que um simples rabiscar uma folha com uma caneta.

Uma história interessante, dentre tantas outras, aconteceu certa vez em um processo de Reabilitação.

Um rapaz de 22 anos, solteiro, comunicativo, morando com os pais, com deficiência visual congênita, que não conseguia sequer ter coordenação motora (fina) para colocar açúcar em sua caneca de leite com o uso de colher, foi estimulado a exercitar escrever em uma prancheta adaptada alguns rabiscos. Com o tempo esses rabiscos aparentemente sem importância foram tomando forma até se tornarem em formato de letras. Não era um trabalho para alfabetização. O foco era outro.

Com uma prancheta comum, de madeira, com linhas coladas em uma distância específica entre elas (adaptadas e personalizadas para ele) e colocando um papel sobre essa prancheta, foi possível a percepção das linhas em relevo que estavam sob ela. Nessa condição foi sendo gerada uma identidade.

Essa identidade era muito mais importante do que simplesmente escrever letras. Significava realização, conquista, superação, independência, autonomia.

Tudo isso ? Seria um exagero ?!?!

Do ponto de vista de quem já sabe escrever, de quem enxerga com os olhos, pode ser um exagero. Do ponto de vista de quem nunca enxergou com os olhos, quem nunca pode escrever, de quem tem documentos com a frase “deixa de assinar por ser cego” a importância pode ser outra.

O escrever poderia ser realizado em outra área ou até em casa, mas esse “escrever”, reforçando, não era alfabetização. Era muito mais do que se poderia imaginar. Havia muito sentimento envolvido durante todo o processo, expectativas, momentos de risos, mas também incertezas, medo de frustração, desafios…

Algum tempo depois

 

Esse rapaz foi entrevistado pela mídia (TV) por um trabalho que ele realizava na área da informática e a emoção, alegria em assinar os direitos de imagem foi uma cena fantástica (praticamente um show da vida)           !

Parte de sua identidade foi conquistada, expressa e celebrada.

Pequenas coisas para alguns, imensas para outros…

Nunca podemos subestimar quaisquer tarefas ou qualquer atividade. Sentimentos fazem parte delas e considerá-los em todo o tempo contribui para resultados surpreendentes e nos capacitam a sermos melhores profissionais como também melhores pessoas.

Quanto a adoçar o seu leite, ele conseguiu realizar essa atividade um tempo depois… (e também teve comemoração !).

 

“Tudo é possível para quem crê” !

 

A prancheta adaptada possui utilidade para aqueles que estão aprendendo as letras para assinarem seus nomes e para aqueles que já escreveram antes da perda da visão. Pode ser usada para anotar pequenos recados e outras funções. Com a prática é possível assinar também com o uso de um assinador, escrever em trabalhos de arte e outros.