Projeto nas redes sociais ajuda a combater violência contra mulheres

Agosto é o mês de conscientização e combate à violência doméstica e familiar contra as mulheres no Brasil. Pensando em dar mais luz ao tema, diversas cidades do país aderiram à campanha nacional Agosto Lilás. O movimento foi criado em alusão ao aniversário da Lei Maria da Penha, aprovada no dia 7 de Agosto de 2006, que inclusive, neste ano completa 15 anos. Mas este está longe de ser o único projeto pensado em dar apoio às mulheres vítimas de violência doméstica.

Conforme dados divulgados no Fórum Brasileiro de Segurança Pública de 2018, uma mulher é vítima de feminicídio a cada 7 horas no Brasil. E nove a cada 10 mulheres morrem pelas mãos do companheiro ou ex-companheiro.

Com o objetivo de conhecer e entender melhor a vivência das vítimas, o USAM realizou uma pesquisa com sobreviventes de violência. A pesquisa serviu também para verificar qual é a condição psicológica de cada uma dessas mulheres. De acordo com essa pesquisa, das 289 mulheres que acompanham a plataforma, 55% apresentaram problemas psicológicos após terem vivenciado uma situação de violência.

Para Renata Juno, assistente social apoiadora do projeto, a violência é a expressão de uma sociedade doente e decaída. “A nobreza do nosso atendimento é ser um socorro para mulheres que são vítimas de violência. Queremos conhecer as histórias, as vontades, além de construir juntas possibilidades de superação desse momento difícil”, explica.

Com os dados em mãos é possível ver que existe a necessidade de um acolhimento pós-violência. Por isso, a plataforma que já vinha orientando mulheres através de postagens nas redes sociais, decidiu se posicionar como uma plataforma que acolhe, principalmente, mulheres que sofreram algum tipo de violência e que apresentam sequelas e traumas decorrentes dessas experiências vividas.

Um Socorro à Meia Noite é uma plataforma de conteúdo que utiliza as redes sociais e principalmente o Instagram para informar, acolher e empoderar mulheres sobreviventes de qualquer tipo de violência. Também orienta mulheres de todo o Brasil com publicações de conteúdos didáticos e acessíveis, com representações imagéticas atrativas. Esses conteúdos são pautados em temas informativos sobre os diversos tipos de violência contra as mulheres e como superá-la, sobre seus direitos, saúde mental, bem-estar e empoderamento feminino.

Paralelo ao Agosto Lilás, projetos como USAM (Um Socorro à Meia Noite) se comprometem em dar voz e vez às vítimas. Criado em 2012, pela designer e psicóloga social Giselle Prado, o USAM serve hoje, principalmente como um canal de conteúdo relevante sobre os assuntos ligados à violência contra as mulheres, seus direitos, bem-estar e saúde mental no cenário pós-violência.

Para ampliar a informação sobre violência doméstica e intensificar a campanha de Agosto Lilás, a plataforma criou uma websérie – “Especial Agosto Lilás” – onde a criadora compartilha informações, dados e curiosidades a respeito do tema. Serão 4 episódios que irão acontecer no mês de Agosto, no Instagram.

Um Socorro à Meia Noite“Antes de se recuperar, a mulher precisa identificar e reconhecer que está sendo vítima de violência para pedir ajuda”, afirma Giselle Prado, criadora do USAM, que também é uma das inúmeras mulheres sobreviventes de violência no Brasil.

Instagram:

https://www.instagram.com/umsocorroameianoite/?hl=pt-br

Facebook:

https://www.facebook.com/UmSocorroAMeiaNoite

Twitter:

https://twitter.com/umsocorro

Linkedin:

https://www.linkedin.com/company/um-socorro-a-meia-noite/?viewAsMember=true

Podcast:

https://anchor.fm/ficabem

[email protected]

(11) 96191-9643