Quarentena pode desencadear problemas psicológicos

Imagem: Freepik

Ansiedade, depressão, tensão e estresse podem ser disparados com o atual cenário de pandemia do coronavírus

A natureza humana leva as pessoas ao convívio social como forma de organização social por meio de interações, organiza nosso cérebro ao estabelecer rotinas diárias e troca de experiências. Essa condição tem sido seriamente comprometida com a recomendação de quarentena e isolamento social, feita pelas autoridades de saúde mundial como a melhor forma de combater o crescimento de casos de coronavírus.

A atual realidade tem imposto às pessoas a situações que podem gerar desde pequenos desconfortos até o desenvolvimento de distúrbios psicológicos, como ansiedade, depressão e estresse. Algumas dessas condições, além de desequilibrar a saúde emocional, podem comprometer o sistema imunológico.

Segundo a psicóloga Ana F. Winter, existem algumas estratégias para tentar manter a saúde mental o mais equilibrada possível, diminuindo as reações de estresse e ansiedade. “Estamos passando por algo completamente novo, temos que nos isolar, mudar completamente nossa rotina, parar atividades, é claro que isso afeta nossa saúde mental, mas temos como cuidar disso”, analisa.

A primeira coisa a ser feita, de acordo com a psicóloga, é tentar diminuir a quantidade de informações desnecessárias, já que isso pode gerar um quadro de ansiedade. “Procure se informar uma vez ao dia, o excesso de informações pode ativar um estado de alerta exagerado, o que prejudica a capacidade do corpo de relaxamento. Tente pensar no isolamento como algo bom, algo feito para o bem comum, em breve sua rotina voltará ao normal”, recomenda a profissional.

Tentar manter a agenda de tarefas diárias é um excelente recurso. Para muitos, o home office é uma novidade, o que pode acabar sendo uma experiência nada prazerosa. Ainda que temporária, essa medida pode desorganizar seu dia a dia e trazer um sentimento de insegurança e angústia. “A melhor opção nesse caso é tentar manter ao máximo a rotina, mesmo estando em casa. Organize seu tempo, tire o pijama, faça seu trabalho, mas não esqueça da pausa para o almoço, café, para respirar e jamais abra mão do seu tempo livre e é claro, descanse!”, complementa Ana.

Para finalizar, a psicóloga alerta sobre o ócio. Evitar ficar sem fazer nada, se o trabalho foi suspenso, procurar alternativas como atividades manuais, atividades físicas que possam ser feitas em casa, leitura, jogos etc. “Busque atividades que distraiam a sua mente para evitar o desanimo, a tristeza e a solidão.

Utilize a tecnologia a seu favor, ela é uma ótima ferramenta hoje em dia, mantenha-se conectado com a vida, os amigos, sem exageros”, recomenda. Segundo ela, a solidão faz parte do estado emocional, mas em excesso, pode produzir tristeza e potencializar traços depressivos inerentes a cada ser humano.

Facebook da profissional citada: Psicóloga Ana Winter