Referência nacional: Campina Grande/PB garante inclusão a crianças e adolescentes com deficiência nas escolas

A Educação Especial no Sistema Municipal de Ensino de Campina Grande/PB tem se destacado pelas ações voltadas à garantia e efetivação do direito de aprender, realizadas pela Prefeitura Municipal de Campina Grande, através da Secretaria de Educação e pela Coordenação de Educação Especial/Inclusiva.

A rede municipal possui 109 instituições de ensino entre creches, escola do campo e urbana.

São 32 mil estudantes e mais de 700 estudantes com deficiência são assistidos por 209 cuidadores em turno regular. O município oferece 50 salas de recursos multifuncionais nas escolas com profissionais capacitados, produzindo materiais de tecnologia para atender os professores das salas regulares dentro das necessidades das crianças e adolescentes, com a prática plena de Política e Normativas que estão garantidas até 2021.

Essa revolução começou em maio de 2014, quando a professora Iolanda Barbosa assumiu a Secretaria de Educação e passou a integrar uma equipe que se orgulha da efetivação da Política Nacional da Perspectiva da Educação Inclusiva.

Em menos de 4 anos, o número de crianças e adolescentes com deficiência matriculados nas escolas do município quase triplicou, considerando a faixa etária de quatro meses a 15 anos.

Ainda em 2014 a Secretaria Municipal criou o Caderno de Acompanhamento do Programa Salas de Recursos Multifuncionais – Atendimento Educacional Especializado (AEE).

Já em 2016 uma nova versão do Caderno foi apresentada para as Professoras que, no segundo semestre daquele ano, passaram a simular e testar em salas de aula.  Após esse trabalho de ‘campo’ as professoras apresentaram sugestões à Coordenação de Educação Especial/Inclusiva e no ano passado o Caderno se tornou uma ferramenta oficial para a Formação Continuada para as Professoras do AEE e Cuidadores. Sobre essa experiência envolvendo todos os profissionais da rede municipal, a professora Iolanda comenta que “liberdade não se dá, liberdade se conquista. E é assim que tem acontecido em nosso município. Fico muito feliz em receber dirigentes educacionais de inúmeras outras cidades que vêm para conhecer o nosso trabalho. Garantir esse direito nada mais é do que dever do ente federativo município, no sentido de oportunizar a todas essas crianças uma escola inclusiva com condições estruturais, com formação dos profissionais”, finaliza a secretária.

 

Exemplo de atendimento 

Outro exemplo mais recente da Política de Inclusão na educação municipal foi o acesso da criança com a Síndrome Congênita do Zika Vírus nas creches. As unidades passaram por um processo de adaptação na infraestrutura, além da inclusão de material pedagógico para atender as crianças com a síndrome e outras deficiências. Campina Grande/PB passou a ser o único município a oferecer esse atendimento.

“A política de educação especial avançou em face de uma série de decisões políticas voltadas no direito de aprender, que se efetiva na garantia do acesso, permanência, progressão e desenvolvimento dessas crianças”, pontuou a secretária de educação, Iolanda Barbosa.

Foto crédito para: Assessoria de Comunicação da Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Campina Grande