RIO DE JANEIRO: adultos com deficiência intelectual tem moradia independente na cidade maravilhosa

No Brasil existem milhões de pessoas com deficiência, e muitas delas almejam o direito à vida independente. Pensando nisso, o Instituto JNG, criado em 2013 para promover a autonomia de adultos com deficiência intelectual através de moradias independentes inaugurou, em parceria com a Uliving – empresa que trouxe para o Brasil em 2012 o conceito de student housing – um projeto inovador e com metodologia exclusiva. O objetivo é desenvolver, em conjunto, uma solução para que jovens adultos com deficiência intelectual possam viver de forma inclusiva, e que todos os moradores tenham a possibilidade de interação e desenvolvimento.

Sem isolamento, sem residências segregadas, mas com privacidade, liberdade e autonomia, como garantido na Convenção da ONU e na Lei Brasileira de Inclusão.

Enquanto a Uliving fornece a hospedagem e toda experiência de uma moradia universitária, o Instituto JNG ficará responsável por oferecer apoio no aprendizado de tarefas do dia a dia, fazendo a ponte para a educação inclusiva.

Depois de um mês de preparação dos jovens, diálogo com as famílias e habilitação do corpo técnico, o projeto-piloto está pronto para iniciar. Esse grupo de jovens, com idades de 23 a 31 anos, passa a morar na Uliving, na unidade do bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro/RJ. Os moradores contam com uma equipe de apoio que trabalha em regime de plantões de 24 horas, 7 dias por semana, com monitoramento de rotina e, aqueles que precisarem, podem contratar um plano de apoio personalizado. Dessa forma, o adulto com deficiência tem perspectiva de sair da casa dos pais, ter sua privacidade, fazer suas escolhas e cuidar do seu espaço.

A moradia independente na prática:

  • A pessoa mora sozinha ou com alguém de sua escolha.
  • Cada adulto tem seu apartamento e sua rotina.
  • Equipe de apoio em regime de plantão 24h.
  • Plano Personalizado de Apoio (PPA): detalha tipo, quantidade e frequência do apoio para cada morador, de acordo com suas habilidades e necessidades.
  • Não tem função terapêutica ou de assistência médica – esse acompanhamento, se houver, deve ser mantido e monitorado pela base de apoio.
  • Não há limite de idade e qualquer tipo de deficiência intelectual pode se beneficiar da moradia independente.
  • Respeito à capacidade de decisão e ao exercício de direitos e cidadania da pessoa com deficiência.