Rodas para voar: jovem paraplégica encontra seu propósito de vida

rodas para voar

Numa cirurgia, na hora de aplicar a anestesia na jovem, o médico errou o local, acertando um nervo. Dois meses depois, outro anestesista também errou ao passar um cateter para aliviar a dor de Isabela, desta vez, acertando a sua medula, resultado: ela ficou paraplégica !
Bela passou 5 meses internada, incluindo 50 dias na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). Nessa época, ela fazia duas faculdades, de Publicidade e Propaganda e de Comunicação Organizacional.

Como também gosta muito de doces, Bela começou a fazer bombons para vender e preencher o máximo de tempo que conseguisse.
Em dezembro, de férias nas duas faculdades e com a fisioterapia também parada, Bela, hoje com 24 anos, seguiu firme com a produção de bombons. Mas ela queria fazer uma ação social. Era uma vontade que tinha desde quando ainda estava internada no hospital.

capa rodas para voar na amazon

Foi então que encontrou e conheceu o abrigo dos excepcionais da Ceilândia/DF, 50 pessoas com deficiências mentais e físicas, que foram abandonadas pela família. Ela então mobilizou 40 amigos e fez uma super festa de Páscoa no abrigo. Teve gente fantasiada de coelho e, ali, foi plantada a sementinha do Keep Sweet, um clube de assinatura de caixa de doces que destina 100% do lucro para projetos sociais.

A ideia está crescendo desde então. A jovem não parou mais e está contando sua história de superação e de outras quatro pessoas que utilizam cadeiras de rodas, lançou o livro “Rodas para Voar”, como projeto de conclusão da faculdade de Comunicação Organizacional.

Link para o livro: https://www.amazon.com.br/Rodas-para-Voar-Isabela-Fialho-ebook/dp/B082QQ2K1Z