Senadora Mara Gabrilli representa o Brasil na ONU em Genebra

A senadora Mara Gabrilli está em Genebra-Suíça, até o dia 27 de março, para acompanhar presencialmente, de forma autônoma e independente, a 26ª Sessão do Comitê da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

Os custos dessa viagem são pagos integralmente pela ONU. A viagem já estava agendada e não acarretará ônus ao Senado Federal.

Em 2018 Mara foi eleita, para um mandato de 4 anos, como um dos 18 membros desse comitê, formado por peritos independentes na temática da pessoa com deficiência.

É a primeira vez que um brasileiro ocupa esse cargo eletivo. O mandato, iniciado em 2019, termina no final de 2022.

O Comitê tem o objetivo de monitorar a Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e se reúne duas vezes por ano, em Genebra.

Aproveitando a oportunidade de já estar na sede da ONU em Genebra, a parlamentar foi designada pelo Presidente Rodrigo Pacheco para representar o Senado Federal em missão oficial.

A intenção é acompanhar as eventuais tratativas que acontecerem durante a 49ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos, que está sendo realizada paralelamente à reunião do Comitê sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

No Senado, Mara é membro da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, além de porta-voz da Comissão Mista Permanente sobre Migrações Internacionais e Refugiados do Congresso Nacional.

A senadora, que é tetraplégica e usa cadeira de rodas motorizada para sua locomoção, afirma que vai conciliar as duas agendas e trabalhar junto à ONU em benefício dos interesses nacionais e da promoção dos direitos humanos.

O Senado Federal se preocupa com a proteção dos cidadãos brasileiros que ainda estão na Ucrânia, em meio à atual agressão russa ao país. Quero acompanhar as tratativas em relação aos refugiados da guerra, bem como à retirada dos brasileiros, inclusive daqueles que possuem alguma deficiência e encontram inúmeras barreiras para fugir de conflitos armados. Como representante do Senado, me coloquei à disposição da Missão Permanente do Brasil junto à ONU em Genebra, para que possamos trabalhar juntos na defesa de nossos cidadãos em situação de extrema vulnerabilidade”, afirma a parlamentar.