Surdolimpíada Nacional encerra sua maior edição de todos os tempos

O evento, promovido pela Confederação Brasileira de Desporto de Surdos (CBDS), reuniu mais de 800 atletas e comissão técnica, representantes de 20 estados, que disputaram 15 modalidades.

Em sua 3ª edição, o evento teve a Federação de São Paulo como a grande campeã, com 42 medalhas, sendo 24 de ouro, 11 de prata e 7 de bronze. O 2º lugar ficou com a Federação do Rio de Janeiro com 20 medalhas, sendo 9 ouros, 5 pratas e 6 bronzes. Já a Federação do Rio Grande do Sul ficou com a 3ª colocação, com 22 medalhas, sendo 8 de ouro, 7 de prata e 7 de bronze.

Durante a cerimônia de encerramento, realizada na tarde de terça-feira (7), no Teatrão, Diana Kyosen, presidente da CBDS, agradeceu a todos os envolvidos no evento. “Estou muito feliz por encerrar esta que foi a maior edição já realizada da Surdolimpíada Nacional. Agradeço especialmente a Prefeitura de São José dos Campos, pela recepção, a Secretaria Especial do Esporte, por meio do Secretário Nacional do Paradesporto que, além do apoio, prestigiou nosso evento durante todos esses dias. Agradeço a primeira-dama, Michelle Bolsonaro por ter estado com a gente aqui na abertura da Surdolimpíada, além do Governo Federal e da Loterias CAIXA pelo patrocínio, que nos permitiu realizar este evento. É uma grande honra poder estar à frente da CBDS. Sabemos que muito ainda está por vir”, discursou Diana.

Presente na cerimônia, Kátia Machado, secretária de Esportes de São José dos Campos, destacou a importância do evento para a cidade. “Para nós, sediar esse evento foi uma oportunidade ímpar. Quero agradecer pela parceria com a CBDS e com a Secretaria Nacional do Paradesporto, e também a minha equipe que aceitou o desafio. Tenho certeza que conseguimos oferecer uma excelente estadia a todos”, concluiu a secretária.

O Secretário Nacional do Paradesporto, José Guedes, parabenizou todos os envolvidos no evento e, em especial os surdoatletas, a quem chamou de astros. “Vocês foram os grandes nomes do evento e fizeram desta a melhor e maior Surdolimpíada de todas. Vocês, atletas, são as principais estrelas deste evento. É por vocês e para vocês que a Secretaria Nacional do Esporte trabalha. Para que eventos como este possam continuar existindo e para que, futuramente, possamos ter ainda mais atletas surdos participando de torneios como o que encerramos aqui, em São José dos Campos. Parabenizo também a equipe da Prefeitura pelo excelente trabalho, em nome da nossa secretária Kátia, e a equipe da CBDS, em nome da Diana, pelo excelente trabalho à frente da confederação. A Secretaria Especial do Esporte se sente feliz com o que vimos aqui e essa é a primeira de muitas parcerias da CBDS com a Secretaria Especial do Esporte, por meio da Secretaria Nacional do Paradesporto”, concluiu Guedes.

Um dos destaques do evento, a atleta Natália Santos, do Vôlei, conquistou medalha de ouro com a Federação de São Paulo. Após a conquista, Natália falou da emoção de participar de sua primeira Surdolimpíada. “Essa missão foi muito grande porque foi a minha primeira vez com esse time e foi muito bacana. As meninas jogaram muito bem e o time é bastante unido. Sei que eu tenho uma missão de estar aqui, de ajudar e mostrar a elas que a gente pode chegar aonde eu cheguei”, disse Natália, primeira jogadora surda a disputar a Superliga Nacional e a integrar a Seleção Brasileira de Vôlei.

Natália também foi a atleta escolhida para apagar a tocha olímpica. “Estou completamente feliz e realizada de estar aqui. E o vôlei fechou uma sequência de ouro, com 25 medalhas já conquistadas pela equipe da Federação de São Paulo. Só tenho que agradecer por essa oportunidade”, concluiu a jogadora.

 

Resultados do último dia

Nesta terça-feira, aconteceu o encerramento de quatro modalidades: Ciclismo, Vôlei de Praia, Handebol e Vôlei.

No Ciclismo masculino os três primeiros colocados foram: José Roberto Simplicio (SP) com o ouro; Fernando Miranda (CE), com a prata; e Mateus da Silva (RS) com o bronze. O pódio feminino foi formado por Livia Assis (RJ), com o ouro; Fernanda Costa (SP), com a prata; e Carolina Borges (GO), com o bronze.

No Vôlei de Praia apenas dois sets foram necessários para definir as campeãs entre as mulheres. Elizabeth Borges e Carolina Longman (PE), ficaram com a medalha de ouro. As atletas Joanna Fernandes e Márcia dos Santos (RN), ficaram com a medalha de prata, enquanto o bronze foi também para o Pernambuco com a dupla Eduarda Cavalcanti e Elk Franca.

No Vôlei de Praia masculino, o ouro ficou com os atletas Lincoln Barbosa e Walisson Carvalho (DF), seguidos por Joel Gomes e Caio de Souza (AM), com a prata, e Jorge Monteiro e Luis Augusto dos Santos (RN), com o bronze.

No Handebol masculino, a medalha de ouro ficou com a Federação de São Paulo, a prata com a Federação do Distrito Federal e o bronze para a Federação do Paraná. Assim como no masculino, no feminino o ouro e a prata ficaram com as federações de São Paulo e do Distrito Federal, respectivamente. Santa Catarina ficou com a medalha de bronze.

A realização da Surdolimpíada Nacional 2021 só foi possível graças ao patrocínio das Loterias Caixa e do Governo Federal, por meio do Ministério da Cidadania e da Secretaria Especial do Esporte, além da Prefeitura de São José dos Campos, que ofereceu toda a logística da competição. Para o evento, a CBDS contou com o apoio da Helpvox.

O evento foi um preparativo para a convocação final das Seleções Brasileiras para a 24ª edição dos Jogos Olímpicos de Verão para Surdos, Deaflympics (Surdolimpíada, em livre tradução), que será realizado, em 2022, no Brasil.