Syngenta: uma jornada permeada por transformação e orgulho !

Revista Reação

Especial de Aniversário

 

O Syngenta Group é uma das principais empresas de inovação agrícola do mundo, criada há mais de 250 anos. Seus 48.000 colaboradores distribuídos em mais de 100 países buscam transformar a agricultura por meio de produtos e tecnologias inovadores, que têm um papel crucial na cadeia de alimentos para alimentar o mundo de forma segura, sustentável e com respeito ao nosso planeta.

A Syngenta está presente nas principais regiões agrícolas brasileiras por meio de centros de pesquisa e estações experimentais, bem como pela realização de plantios experimentais desenvolvidos em parceria com produtores de culturas variadas, em diversos ecossistemas e locais do país.

A discussão sobre cotas de inclusão, na Syngenta, faz parte das interações frequentes entre gestores e líderes de RH, que visa elaborar um programa de inclusão, envolvendo uma companhia líder no segmento de insumos agrícolas, com quase 3 mil funcionários espalhados pelo Brasil. De janeiro de 2019 até setembro de 2020, foram admitidos 55 PcD como parte de um foco e esforço da Syngenta em promover a inclusão e desenvolvimento de profissionais com deficiência. “Logo no início dessa jornada, duas oportunidades interessantes surgiram. A primeira delas veio com a aquisição da Nidera, pela Syngenta, em 2018. Importante player no setor de sementes da América Latina, a Nidera trouxe uma experiência de atendimento da lei de cotas por meio das denominadas Oficinas Terapêuticas. Por meio delas, pessoas com deficiência intelectual de grau grave ou severo são contratadas e alocadas em ambientes apropriados para propiciar o desenvolvimento profissional específico, com supervisão formada por uma equipe técnica e multidisciplinar e rotinas especialmente desenhadas para que, mesmo em uma localidade diferente, possam contribuir para o negócio, por meio de projetos específicos e dentro de suas possibilidades e capacidades. Em um primeiro momento, a avaliação da Syngenta era de que esse modelo não inferia em uma efetiva inclusão, tendo em vista o fato de impossibilitar a real integração de profissionais com deficiência dentro da organização. Ao mesmo tempo, tal sistema viabilizava o ingresso de pessoas com deficiência intelectual severa no mercado de trabalho, tornando-os cidadãos economicamente ativos”, afirma Cinthia Bossi, Diretora de RH da Syngenta.

A empresa conta com mais de 110 profissionais PcD. Uma grande parte está na cidade de São Paulo, mas a empresa também conta com esses profissionais em Paulínia/SP, Londrina/PR, Uberlândia/MG, Cascavel/PR, Aracati/CE, e em outros polos da Syngenta. Para participar dos processos seletivos os profissionais podem registrar seu perfil profissional na Comunidade de Talentos: https://pages.beamery.com/syngenta/form/join-our-talent-network

De acordo com a diretora de RH da empresa, “os valores, cultura, propósito e ambição da Syngenta nortearam análises, diálogos e ponderações. Uma das primeiras conclusões à qual chegamos foi a de que, com base na certeza que o mero cumprimento legal de cotas não nos seria suficiente, o modelo de Oficinas Terapêuticas, poderiam sim permear o nosso programa de inclusão, mas não defini-lo por completo. Ele seria direcionado àqueles profissionais que, sem este modelo, não poderiam ter acesso a nenhum tipo de apoio, desenvolvimento ou oportunidade laboral, devido à gravidade de seu comprometimento intelectual, configurando a denominada ‘limitação grave ou severa’. E, mesmo que compondo o nosso modelo híbrido de inclusão, decidimos que faríamos uma gestão muito mais próxima deste grupo de profissionais para seguirmos com seu desenvolvimento e eventualmente podermos considerá-los em outras oportunidades na organização”.

“Oportunidade de trabalho significa porta aberta para a qualificação, que por sua vez gera inclusão. Como parte de nosso programa mais amplo, denominado como Cultivar, todos esses profissionais contam com acompanhamento técnico psicológico mensal, envolvendo funcionário e gestor, e é nesse movimento que viabilizamos conversas essenciais, que rendem aproximação, aprimoramento de habilidades e competências necessárias para evolução, tanto pessoal quanto profissional e, também resolução de possíveis arestas criadas ao longo do caminho”, afirma Cinthia Bossi.

Para a diretora de RH da Syngenta “belas histórias como a de gestores buscando se alfabetizar em libras para se comunicarem melhor com seus funcionários têm se iniciado na Syngenta. Inspirando times, equipes parceiras e engrandecendo o orgulho de pertencer a uma companhia que se desafiou a olhar para a inclusão de um modo cuidadoso e efetivo.  Seguimos firmes no desejo de atuar pela quebra do ciclo vicioso já pontuado e confiantes na iniciativa de trazer esses profissionais para a nossa organização e viabilizar oportunidades reais de desenvolvimento e qualificação. Praticando, de fato, a inclusão”. Mais sobre a empresa em www.syngenta.com.br/carreiras

 

Font Resize