Um laboratório mágico !

O laboratório infantil do Hospital Federal dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro é quase parecido com todos os demais hospitais. Parecido ! Se não fosse o laboratório infantil. Para não dizer que é referência, podemos dizer que esse setor da Instituição é cheio de magia. Crianças chegam com muito medo. Chorando. Tremendo e assustadas. Crianças com Deficiência são a grande maioria dos atendimentos e o que o técnico em enfermagem Tayo Kaye faz é impressionante.

Vez ou outra você pode ter passado por uma publicação dele nas redes sociais e não ter percebido. Mas perdeu a oportunidade de assistir essa magia feita por ele. Em suas mãos ele transformou o choro de crianças, com medo de fazer a coleta de sangue, em sorrisos, beijos, danças e o início de uma longa amizade. Se ele conquista as crianças – inclusive com deficiências graves – faz o mesmo com os pais, que chegam à sala apreensivos e saem sorridentes também. E principalmente com a tarefa feita da coleta do sangue das crianças. Em uma das redes sociais, você pode assistir Tayo Kaye com a Sara, Augusto, com um lindo bebê de poucos meses, Kauan, Esther, Gustavo, Kely, André, Wanderson e muitas outras crianças com Deficiência. Vez ou outra ele ainda cria Estilos, como o Ninja.

O técnico em enfermagem reside em Magé/RJ, há pouco mais de 70 km da capital carioca. Em suas folgas, faz participações especiais. Sim. Já participou de episódios de Malhação, Carga Pesada, A Grande Família, Linha Direta, novelas como Viver a Vida, Caras e Bocas e até no Fantástico. Já contracenou com Antônio Fagundes, Hugo Carvana, Fúlvio Stefanini, Selton Melo.

Formado em teatro, é também bacharel, tem licenciatura e pós-graduação em teatro pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. “Busco bater um recorde. Já fiz mais de 10 papéis como mendigo. Estou me especializando nesse papel e quero fazer muitos outros trabalhos nesse sentido”, afirma o mágico Tayo Kaye.

Ele conta que, atualmente, só faz teatro assistencial em sua cidade, mas que o seu principal trabalho é atender as crianças que sempre estão a sua procura no hospital carioca.