Uma história de muito amor

* Por Cynthia Pereira

Continuamos aqui nossa história de muito amor. A Isabella agora na equoterapia juntamente com a escola. Começou finalmente a desenvolver e enchendo nossos corações de alegria.

Sabe, tudo que esperamos ser um desenvolvimento esperado numa criança, na síndrome de down, no caso da Isabella, estava muito distante do esperado.

A síndrome causa esse atraso, mas entre as crianças com t21, cada uma tem sua singularidade.

No caso da Bella, a hipotonia sempre foi muito importante, mais intensa, não tendo o desenvolvimento para sua idade, em contrapartida a sua deficiência intelectual foi leve.

A t21 não tem graus, não é falado, mas a deficiência intelectual pode ser leve, moderada ou severa.

Precisamos entender o que nossos filhos precisam oportunizar para que alcancem os marcos desejados.

Já com quatro aninhos, ainda sem conseguir pegar na colher, ela começou com uma nova conquista. Conseguia comer!

A hipotonia, quando severa, atrapalha muito essas ações, como segurar uma colher, levar a comida até a boca, enfim, pequenas coisas que a cada vitória da Isabella era motivo de muita comemoração.

A criança precisa sentir-se pertencente, de uma vez por todas.

Precisamos ter uma sociedade menos capacitista, e entender que nossos filhos não são deficientes, mas temos uma sociedade deficiente, e que se não assumirmos nossos filhos de uma maneira única, não conseguiremos caminhar.

Não podemos esperar as pessoas fazerem pelos nossos filhos, seja para seu filho tudo que eles precisam e continuem lutando por uma sociedade inclusiva, mas não espere que caia do céu, se você e sua família não fizer, infelizmente, seu filho não terá a oportunidade de estar nessa sociedade.

Hoje deixo uma mensagem de uma mãe que mesmo enfrentando um câncer de mama, ou melhor quatro – e uma mastectomia, não deixei de lutar pela Isabella e continuo….

Mais para frente verão a nossa trajetória de muita fé e perseverança.

Não podemos deixar de sonhar e acreditar, mesmo com uma sociedade que tanto exclui.

Continuem. Não desistam dos seus filhos. Os sonhos de Deus são maiores que os nossos, e que mesmo sem entender, Deus age o tempo todo em nossas vidas.

Um grande beijo e que Deus nos abençoe.

Obrigada Revista Reação por oportunizar esse espaço, praticando realmente a inclusão e nos ajudando a ter uma sociedade Inclusiva.

* Cynthia Pereira é mãe ativista. Ela escreve, quinzenalmente, para o Portal de Notícias da Revista Reação, dando sequência aos artigos.

** Este texto é de responsabilidade exclusiva de seu autor, e não expressa, necessariamente, a opinião do SISTEMA REAÇÃO – Revista e TV Reação.