VOCÊ SABE O QUE É DEVOTEISMO?

devoteismo

* Por Juliana Lourenço

Em meio a tantos questionamentos sobreo que é devoteismo, agradeço a oportunidade de tentar humildemente trazer o assunto à tona.

Convido a todos que estejam lendo essa matéria a saírem de sua zona de conforto, como diz Saramago “a sair da ilha para ver a ilha.” Os convido a fazer suas análises livre dos conceitos pré determinados da nossa sociedade.

Devoteismo é uma parafilia e parafilia não é um palavrão.

Para falar sobre parafilia e entender sobre sexualidade temos que inicialmente desconstruir a compreensão do meu pipi no seu popo, pois sexo não se resume a penetrar e gozar, assim como as zonas erógenas não estão reduzidas aos orgãos sexuais.  E sexualidade não é com quem se faça sexo e sim um conjunto comportamental. Temos que nos livrar do conceito de que ter um hábito sexual incomum ou como diziam nossos avós pervertidos nos traga uma conduta de um indivíduo moralmente perverso. Ter uma tendência incomum não é ter uma anormalidade, fugir dos padrões sexuais determinados por uma cultura ou geração não significa ter uma personalidade desviante.

fotografia pés

Parafilia é todo ato de cunho sexual onde o prazer não esteja na cópula, onde o prazer não esteja na penetração. E contrariando o que muitos imaginam, um parafílico não é um hedonista, não tem como finalidade o sexo e sim a busca pelo prazer. O prazer de um devote está no que chamamos de parafilias de imagem: no voyeurismo dos movimentos e do corpo assimétrico da pessoa com deficiência. É o jeitinho que move a cadeira, os sons ritmados das muletas, a forma de jogada das pernas atrofiadas, a transferência da cadeira para a cama, a vestimenta da prótese, o arrastar dos membros nos tutores e por ai vai…

As parafilias podem ser somatizadas.

Alguns incluem parafilias de dor como os casos de devotes que se estimulam do sadismo subentendido como presenciar a dificuldade que a deficiência exerce na pessoa com deficiência. Outros nas parafilias de objeto e corpo com o fetichismo nas muletas e cadeiras de rodas( Pretenders) ou nos pezinhos tortos (podolatria)…. Os infinitos prazeres do devoteísmo estão nas atitudes peculiares que cada deficiência proporciona ao corpo e mente de quem a tem.

Não existe um caminho único para a sexualidade humana, o que é uma fonte de prazer para uma pessoa pode ser um motivo de ridicularização ou bizarrice para outra. Entender que existe toda uma pluralidade e aprender a subdividi-la talvez seja a melhor forma de respeitar as diferenças.

” Quando perdemos o direito de sermos diferentes, perdemos o privilégio de sermos livres.” Charles Evans

Até a próxima

 

Juliana, uma Devotee, fala sobre O QUE É DEVOTEISMO.

* Juliana Lourenço escreve, especialmente, para o SISTEMA REAÇÃO – Revista e TV Reação.

 

** Este texto é de responsabilidade exclusiva de seu autor, e não expressa a opinião do SISTEMA REAÇÃO – Revista e TV Reação